Glossário de Snowboard para iniciantes

Créditos: Hamish Duncan/Unsplash

Aprenda os termos utilizados na prática do esporte de neve 

Entrou para o mundo do snowboard agora e está com dificuldade de entender algumas palavras por aí? Como iniciante, é importante aprender os significado de algumas palavras em questão de segurança mesmo. E mesmo para os mais experientes, é sempre bom estar alinhado com o vocabulário do esporte. Por isso, separamos alguns dos termos mais comuns na prática, confira:

Termos de Snowboard 

Air: Salto ou manobra nos quais o snowboard se ergue do chão.

All-Mountain: Tipo de snowboard projetado para andar em qualquer tipo de terreno.

Backcountry: Terreno fora dos limites do resort, sem trilhas marcadas e obstáculos naturais, como árvores e falésias.

Boned out: Forma como as pernas aparecem estar completamente estendidas durante uma manobra aérea.

Baseless Bindings: Prendedores do snowboard que não usam base para que a bota fique diretamente no snowboard. Ele aprimora a sensação e o controle do skate, proporcionando ao ciclista uma sensação mais natural do pé.

Banked Slalom: É um percurso em declive, no qual as curvas são definidas nas margens da neve. O Slalom Bancário Lendário Mount Baker, realizado todo mês de fevereiro, é o mais famoso do mundo.

Bevel: Ângulo das arestas de aço de um snowboard. 

Blindside (Lado cego, em português): Rotação avançada em que o snowboarder fica “cego” durante a decolagem ou aterrissagem e deve se esticar para olhar por cima do ombro.

Boardercross: Competição em que os participantes correm em curvas, bancos, obstáculos e saltos em baterias de 4-6 pessoas.

Bonk: Bater intencionalmente em um objeto que não seja neve, como um tronco de árvore, com o snowboard. Um bonk é considerado um tipo de artifício.

Buttery (Amanteigado, em português): Termo usado para descrever uma prancha de snowboard com boa flexibilidade.

Camber (Curvatura, em português): É o espaço embaixo do centro de uma prancha de snowboard quando ela está sobre uma superfície plana. 

Cant: É o ângulo no qual o pé aponta para dentro ou para fora, e que faz com que os joelhos se dobrem em aproximação ou afastados um do outro.

Carve (Esculpir, em português) – Curva perfeita em que a borda do tabuleiro escava a neve, fazendo com que o ciclista ganhe velocidade a cada curva.

Chatter: Vibração do snowboard resultante de alta velocidade, curvas fechadas e / ou condições de gelo. O chatter é indesejável, mas muito comum com pranchas macias em alta velocidade.

Chute (Calha, em português): Uma faixa estreita de neve rodeada por rochas, falésias e árvores estreitas.

Corduroy: As faixas deixadas por um snowcat (veículo), formando uma trilha que parece um tecido de veludo cotelê. 

Cork: Rotação fora do eixo em que a cabeça do snowboarder mergulha para baixo da posição relativa da prancha.

Corkskrew (Saca-rolhas, em português): É a rotação aérea rápida e firme no half pipe ou fora de um salto.

Crail: Quando a mão traseira agarra a ponta do dedo do pé na frente do pé dianteiro enquanto a perna traseira é super estendida.

Crossbone Method Air: Manobra em que a perna de trás é estendida (quando a mão frontal agarra a borda do calcanhar entre os bindings).

Cruiser Run: Trilha suave e suave em um resort onde os snowboarders relaxam.

Dampening (Amortecimento, em português):  Redução da vibração para aumentar o manuseio e o controle. Modificações estruturais podem ser feitas em um snowboard ou emperramentos para aumentar o amortecimento.

Delaminate: Quando a parte superior do seu snowboard começa a lascar ou descascar normalmente resultante de uma colisão, uso prolongado, defeito ou manutenção inadequada do snowboard.

Detune: O processo de amortecer as bordas do snowboard. A maioria das pessoas faz isso nas bordas para o snowboard não ficar prendendo na neve.

Ding: Arranhão na base do snowboard. Dings podem ocorrer se um snowboarder andar sobre uma rocha ou atingir um pedaço duro de gelo.

Duckfooted: Ângulo de postura em que o pé é apontado para fora como um pato.

Fakie: Andar para trás ou com o pé não dominante para frente. Também chamado de “interruptor de direção”.

Flail: Termo usado para descrever quando está fora de controle.

Flat Bottom: A área plana em um halfpipe entre as duas paredes de transição opostas.

Fresh Fish Air: A versão traseira do Stalefish.

Front hand (Mão da frente, em português): A mão mais próxima do nariz do snowboard.

Front foot (Pé dianteiro, em português): O pé montado mais próximo do nariz do tabuleiro

Frontside Rotation: Giro da direção que seu lado do calcanhar está voltado.

Goofy (Pateta, em português): Andar com o pé da frente para a frente ou virado para baixo da colina/montanha.

Grommet (ou Grom): Refere-se a um jovem e iniciante snowboarder.

Halfpipe: Uma estrutura de neve em forma de U, construída para snowboard freestyle com paredes opostas da mesma altura e altura.

Hucker: Aquele que se lança incontrolavelmente no ar, sem levar em consideração a segurança pessoal ou ao redor.

Inverted Ariel: Quando um snowboard fica de cabeça para baixo a qualquer momento.

Jam Session: Uma competição na qual todos os snowboarders se apresentam no half pipe ou park ao mesmo tempo. 

Jerry: Alguém que não sabe nada sobre snowboard. Comumente encontrado usando jeans, prancha e capacete errado, para trás, sentado nos trilhos, em caixas, etc.Também conhecido como gaper.

Melonchollie Air: Quando a mão da frente chega atrás da perna da frente e agarra a borda do snowboard. 

Nose: A extremidade frontal do snowboard ou da ponta.

Nariz Bonk: Atingir e recuperar intencionalmente um objeto natural ou artificial com o nariz.= do snowboard.

Nariz Grab Air:  Durante uma antena, a mão da frente agarra o nariz do snowboard.

Nose Poke Air: Qualquer manobra em que você descama a perna da frente e “cutuca” o nariz do snowboard em uma direção longe do corpo, geralmente enquanto o agarra.

Nose Press: Normalmente feita em trilhos ou caixas, inclinando-se para a frente, de modo que a cauda da prancha saia do chão e a pessoa esteja se equilibrando no pé da frente.

Nose slide: Pressionar o nariz do snowboard enquanto levanta a cauda e desliza ao longo do solo ou de um objeto.

Nuclear Air: A mão traseira alcança a frente do corpo e agarra a borda do calcanhar na frente do pé da frente.

Rollout Deck: Quando um ciclista é pego em desequilíbrio e gira os braços descontroladamente no ar para tentar se recuperar.

Slob Air: A mão da frente agarra em silêncio, a perna de trás é estendida e a prancha é mantida paralela ao chão.

Slopestyle: Um evento de estilo livre em que o competidor monta uma série de vários tipos de saltos, em caixas e trilhos. 

Snurfer: Snowboard original feito em 1965 por Sherman Poppen. Não tinha bindings nem arestas, mas tinha uma corda presa ao nariz para manobrar.

Snake (Cobra, em português): Termo usado para descrever alguém que corta na sua frente na fila do teleférico ou cai na sua frente no halfpipe.

Stick: Outro nome para um snowboard ou termo usado para descrever uma aterrissagem perfeita por um snowboarder.

Stinky: Andar de pernas abertas e joelhos separados.

Stoked: Termo alternativo para a palavra empolgado.

Stomp: Termo usado para descrever uma boa aterrissagem feita por um snowboarder.

Tree Well: Um buraco na neve ao redor de uma árvore. Muitas vezes, são muito difíceis de ver.

Tuck: Posição agachada de baixa resistência ao vento usada para atingir maior velocidade.

Tuck Knee (Joelho dobrado em português): Técnica em que um joelho e o tornozelo ficam dobrados para encostar no snowboard, entre os bindings. 

Tweaked (Ajustado, em português): Puxar a prancha para frente ou para trás enquanto faz uma manobra no ar.

Twin Tip: Um snowboard com nariz e cauda em forma idêntica. O flex também é espelhado em todo o quadro e não deve ter a mesma sensação, seja em interruptor de direção ou regular.

Wack: Algo que não é bom.

Waist: A parte mais estreita do snowboard entre os bindings.

Yard Sale: Quando um snowboarder cai com tanta força que todo o seu equipamento se espalha ao redor da encosta.

 

X